Buscar
  • Carlos Mossoró

Confira a programação geral do Festival Decolonial de Rap

Programação “Festival Decolonial de Rap: Espaço Lusófono?”






Quarta-feira (29/07)

(13h do Brasil, 17h de Portugal e Angola, 18h de Moçambique): Debate “Arte e Academia: O rap e o slam nos corredores da academia?”

Convidadxs: Eduardo Taddeo (Brasil), Renan Inquérito (Brasil), Karlla Souza (Brasil), Janne Rantala (Finlândia/Moçambique), 1000ton Nkanzale (Angola) e Sara Araújo (Portugal). Moderação: Cláudio Bantu (Universidade Hip Hop). (16h do Brasil, 20h de Portugal e Angola, 21h de Moçambique): Homenagem especial a Cidade da Beira, com expobeats e shows: Expobeats de Carina Houston, Dedecco, Kems e D2K. Pockets shows dos artistas da Beira Kuatro Ases, Av Sistematic e ThreeB.

(17h do Brasil, 21h de Portugal e Angola, 22h de Moçambique): “Espaço Mossorófono”. Carlos Mossoró convida Amém Ore (Natal/Brasil), Miguel George (Soyo/Angola), Bianca Cardial (Mossoró/Brasil), Luciana Carmo (São Paulo/Brasil), Toxyna (Famalicão/Portugal), Young Prekkah (Maputo/Moçambique), Kardinal MC (Cabinda/Angola) e Inspector Desusado (Chimoio/Moçambique).

Quinta-feira (30/07)


(13h do Brasil, 17h de Portugal e Angola, 18h de Moçambique) Debate “Lusofonia? Como pensar em uma ligação decolonial entre os países através do rap?”

Convidadxs: MCK (Angola), Vinícius Terra (Brasil), Redy Wilson Lima (Cabo Verde), Isabel Ferin Cunha (Portugal), Tânia Macêdo (Brasil), Hamilton Chambela (Moçambique). Moderação: Carlos Mossoró (Brasil) e Otávio Raposo (Brasil/Portugal). (16h do Brasil, 20h de Portugal e Angola, 21h de Moçambique)

Expobeats: Caboco (Mossoró/Brasil), Chambeatz (Curitiba/Brasil), Jucka Anchieta (São Paulo/Brasil) e César Hostil (São Paulo/Brasil). Expobeats: N.e.x.u.s. (Matola), Tchacka (Quelimane) e IMBGLK (Chimoio).

(17h do Brasil, 21h de Portugal e Angola, 22h de Moçambique):

Shows: Rap di Mina. Mary M (Portugal) e Larissa Galvão (Brasil) convidam Nina Uma (Bolívia), Capicua (Portugal) e Vera Verônika (Brasil) para entrevistas especiais e as seguintes rappers para participações artísticas: ARIELE (Brasil), Leokid (Moçambique), Dre (Brasil), Neblina (Portugal), Larissa Galvão (Brasil), Mekys e Karenka (Bolívia)

Miriam (Bolívia), Liddia (Brasil), Casanova (Portugal), Talucha (Moçambique), Rossana (Brasil), Isadroga (Brasil), King A Braba (Brasil), Ginga (Angola), Muleca XIII (Brasil/Portugal) e Pretta Soul (Natal/Brasil).

Sexta-feira (31/07)

(13h do Brasil, 17h de Portugal e Angola, 18h de Moçambique) Dia dedicado ao lançamento do projeto Barras Maning Arretadas, em que haverá a apresentação do projeto de cyphers com 180 rappers e 27 países.

Sábado (01/08)


Debate (13h do Brasil, 17h de Portugal e Angola, 18h de Moçambique): Debate: Rap feminista - Experiências coletivas no espaço lusófono

Convidadas: Sharylaine (Brasil), Mamy (Angola), Guiggaz M Power (Moçambique), Shiva (Portugal), Flavinha (Cabo Verde) e Susan de Oliveira (Brasil).

Moderação: Turmalina MC (Brasil).

Shows arretados "Tema: Identidades Decoloniais" (16h do Brasil, 20h de Portugal e Angola, 21h de Moçambique) Moçambique: Tchacka, Sistah Africa, Shackal, Olho Vivo, Professor Analfabeto, Filady e Gill Puff One.

Angola: - Mamy, Meséne Nguxi, San Caleia e PaulMyAc.

Cabo Verde: Nitry, Flavinha, Cjey, JapPires e Shawwydope.

Portugal: Guiné, Visco, Shiva e Lady R.

São Tomé e Príncipe: Waik Maik , Zafa MC, MC Karboss, Kedy Santos e Pekagboom

Guiné-Bissau: Big Benas, DeusDaRima

Brasil: Odisseia das Flores, Xandy MC, Mc. Shaira Mana Josy, Pepeu Savant, Gaspar (Záfrica Brasil).

Domingo (02/08)

Debate (13h do Brasil, 17h de Portugal e Angola, 18h de Moçambique): Função Inversa (Moçambique), GOG (Brasil), Boaventura de Sousa Santos (Portugal), Eva Rap Diva (Angola), Tirso Sitoe (Moçambique), Kimani (Brasil) e Roberta Estrela Dalva (Brasil).

Moderação: Universidade Hip Hop.

Shows (16h do Brasil, 20h de Portugal e Angola, 21h de Moçambique). "Tema: Censurados" com Ikonoklasta, Movimento Extremista Terceira Divisão, Drux-P, Negro Bey, Hertz Dias e Chullage + comentários de MCK e Eduardo Taddeo.

“Angola 15 + 2” (Angola)

Movimento Extremista Terceira Divisão, Ikonoklasta e Drux-P

Cinco anos após a prisão de rappers e ativistas do caso 15+2, em Angola, o Festival Decolonial irá receber artistas do caso 15+2.

Negro Bey (Guiné Equatorial)

Ativista da causa dos direitos humanos em Guiné Equatorial, o rapper irá fazer o encerramento do evento.

Eduardo Taddeo (Brasil)

Rapper brasileiro, censurado em 1999 e que escreveu dois livros.

MCK (Angola)

Rapper angolano, que já teve vários shows proibidos. Um fã dele (Arsénio “Cherokee”) foi morto por estar reproduzindo a música dele em praça pública.

Hertz Dias (Brasil)

É membro do coletivo Quilombo Urbano e do grupo Gíria Vermelha, já foi preso em uma operação policial quando foi confundido com traficante ou ter carro roubado, devido a condição de negro e periférico. Foi candidato a vice-presidência da república do Brasil pelo PSTU.

69 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo