Buscar
  • Carlos Mossoró

Eduardo Taddeo e Inquérito transmitem abertura do Festival Decolonial

Atualizado: Jul 27

Rappers brasileiros são convidados para debaterem com pesquisadores de quatro países





As páginas dos lendários rappers brasileiros Eduardo Taddeo e Inquérito irão retransmitir a abertura do "Festival Decolonial de Rap: Espaço Lusófono?", que acontece entre os 29 de julho e 02 de agosto. Assim, fãs de ambos artistas poderão acompanhar a abertura desse evento internacional nas páginas dos seus respectivos Facebooks. O evento inicia às 13h do Brasil (17h de Portugal e Angola, 18h de Moçambique). Todas as sessão do Festival irão passar na página do Youtube do Barras Maning Arretadas e do Facebook da Universidade Hip Hop. Depois disso, a prioridade é para artistas participantes das sessões e sites de rap parceiros. Além de Eduardo Taddeo e Renan Inquérito, o lídero do grupo Inquérito, a mesa contará com pesquisadores dedicades ao rap e a palavra falada em vários âmbitos: 1000lton Nkanzale (angolano, reitor da Universidade Hip Hop de Angola), Sara Araújo (portuguesa, professora e pesquisadora da Faculdade de Economia do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra), Janne Rantala (finlandês, pesquisador da Bloco 4 Foundation, de Moçambique) e Karlla de Sousa Araújo (brasileira, professora da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte). Xs convidados Eduardo Taddeo

É rapper desde o início dos anos 1990. Nascido e criado nas periferias, teve música autoral censurada em 1999, por ser considerada estímulo a violência. Mesmo tendo parado na sexta série os seus estudos, nunca abandonou a leitura e, por isso, é palestrante assíduo nas favelas do Brasil e publicou dois livros. Retornou a faculdade e atualmente cursa direito. Foi membro do grupo Facção Central até 2013 e atualmente constroi carreira solo, sendo um dos maiores ícones de toda a história do rap brasileiro. Mantém uma postura de aversão aos veículos de comunicação hegemônicos, desde os estereótipos construídos contra a sua imagem no caso de censura da música "Isso Aqui é Uma Guerra".


Renan Inquérito

É rapper e líder do grupo Inquérito, com mais de 20 anos de trajetória. Possui três livros publicados e seis discos. Possui mestrado e doutorado, ambos focados na palavra falada marginal. No mestrado, estudou as diferenças regionais do Brasil e no doutorado dedicou-se a estudar o crescimento dos saraus periféricos em São Paulo. Possui parcerias com músicos de diversos ritmos do Brasil, buscando um diálogo que atravessa o âmbito do rap. Em 2017, teve a oportunidade de fazer estágio doutoral, ocasião em que ampliou as suas parcerias musicais com rappers angolanos, cabo-verdianos e portugueses. Sara Araújo

Pesquisadora do Centro de Estudos Sociais e Professora da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, em Portugal. Participou da organização de diversos projetos no Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, para apresentar a interligação entre arte e academia, dentro da dinâmica de ecologia dos saberes. A pesquisadora inclusive liderou a organização de grandes shows de rap realizados pelo Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra. Ocupou papéis de lideranças em projetos de abrangência internacional nesse âmbito com destaque, para a Universidade Popular dos Movimentos Sociais na Europa e o projeto Alice - Espelhos do Mundo.


1000lton Nkanzale

Reitor da Universidade Hip Hop de Angola, instituição formada por membros de todas as regiões de Angola que têm como principal meta valorizar o quinto elemento da cultura hip-hop: O Conhecimento. Com isso, a instituição dedica-se os debates em torno do hip-hop e a formação de membros dessa cultura, com direcionamento a uma integração entre todos os elementos e princípios fundacionais.

Janne Rantala

Pesquisador de origem finlandesa que reside há sete anos em Maputo, Moçambique. Lidera o núcleo de pesquisas da Bloco 4 Foundation, uma instituição de pesquisa moçambicana voltada prioritariamente ao rap. Possui doutorado pela University of Eastern Finland, da Finlândia e pós-doutorado pela University Western Cape, na África do Sul. Em ambas as pesquisas, dedicou-se a pesquisar o discurso político de rappers moçambicanos. Inicialmente dedicou-se a pesquisar a memória do primeiro presidente de Moçambique, Samora Machel, nos discursos dos rappers de intervenção social. Além disso, interessou-se por perceber o impacto da música do rapper Azagaia no cenário sociopolítico do país. Percebeu que a história do rap moçambicano era prioritariamente contada através do discurso da capital e optou por estudar rappers de cidades como Chimoio e Beira no seu pós-doutorado. Karlla Araújo Souza Professora de sociologia da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN). Possui doutorado pela Universidade Federal da Paraíba e pós-doutorado pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Participa da organização do Slam Mossoró, competição de poesia e performance realizada na cidade de Mossoró, no Rio Grande do Norte. Contribui com a parceria entre a competição de poesia e a UERN, tornando a atividade com uma extensão da instituição, permitindo assim que a UERN forneça estrutura para a realização de algumas ativiades desse evento. Além disso, é criadora de uma disciplina de cordel. Klaudyu Bantu Membro da Universidade Hip Hop de Angola e responsável pela moderação da mesa.




33 visualizações

Posts recentes

Ver tudo