Parceiros institucionais

O projeto Barras Maning Arretadas tem uma liderança dividida entre rappers de quatro cidades do interior de Moçambique (Quelimane, Chimoio, Beira e Nampula) e promotores do Slam Mossoró, uma competição de poesia e performance realizada em Mossoró, no interior do Nordeste brasileiro. Sendo assim, o projeto busca a autonomia do que o sociólogo Boaventura de Sousa Santos denomina como Sul Global, a parte historicamente colonizada do mundo.

Os parceiros de ações do Barras Maning Arretadas são, dessa forma, prioritariamente de regiões excluídas do Brasil e África, em busca de autonomia. Há aberturas para artistas identificados  com nossas causas, mas as instituições chamadas são aquelas que priorizam as periferias e o rap, sendo lideradas pelos próprios países periféricos. 

Sendo assim, as únicas duas instituições que ajudam a contribuir nessa iniciativa são Bloco 4 Foundation (Moçambique) e Universidade Hip Hop (Angola). A Bloco 4 Foundation é derivada do coletivo pioneiro em unir rappers das periferias de Maputo (Bloco 4), enquanto a Universidade Hip Hop é uma instituição prioritariamente de rappers e militantes do hip-hop que priorizam o quinto elemento do hip-hop: O Conhecimento.